Google EAT, descubra o que é e como melhorar sua classificação

interface
Compartilhar postagem
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter

Sumário

É provável que você já tenha se deparado com o termo Google EAT desde a grande atualização no algoritmo do Google em agosto de 2018. Definitivamente, nos tempos atuais, ele é uma das estratégias mais utilizadas pelo SEO.

Mas, por que esse conceito é importante para sua marca? Em suma, porque tem sido cada vez mais complexo se destacar no Google. Para obter uma boa classificação no Google, você precisa nutrir sua marca, a autoridade, a confiabilidade e, igualmente, desenvolver a experiência durante essa jornada – aliás, é exatamente isso que o EAT significa.

Se você deseja potencializar seu site e/ou blog, confira o artigo a seguir!

Afinal, o que é o Google EAT?EAT 1

Desde já, podemos definir o Google EAT como uma estrutura que determina quais páginas ou sites apresentam experiência, autoridade e confiabilidade em determinados setores.

Na prática, significa que os sites com pontuações altas de EAT são aqueles que repassam conhecimento sobre tópicos que exigem conhecimento, autoridade e precisão por meio de um conteúdo de qualidade.

Portanto, é fundamental que sua organização e/ou marca pessoal estabeleça e aumente seus conhecimentos, autoridade e confiabilidade. Essa tendência, inclusive, é crucial em 2020.

Vale ressaltar que o EAT desempenha um papel fundamental para a avaliação de conteúdos do YMYL (Your Money, Your Life), como por exemplo, tópicos sobre finanças ou saúde.

Para quais tópicos do YMYL o Google EAT é relevante?

Todo site tem a oferecer certa quantidade de conhecimento, autoridade e confiabilidade. Por outro lado, o Google destaca algumas áreas de suas diretrizes que merecem uma atenção exclusiva. O foco principal está no conteúdo YMYL, que, claro, pode afetar o dinheiro ou a vida do usuário.

Exemplos de conteúdo YMYL:

  • Notícias factuais: artigo sobre negócio, política, ciência, tecnologia, por exemplo.
  • Finanças: assessoria em questões financeiras como impostos, empréstimos, entre outros.
  • Saúde: informações na área médica, como remédios, doenças, hospitais, etc.
  • Outros: existem diversos conteúdos que dizem respeito a vida ou o bem-estar de um usuário. Bem como condicionamento físico, nutrição, pesquisas de empregos.

Portanto, se seu blog trata de algum dos fatores citados acima, é essencial incluir o Google EAT na sua estratégia de SEO. Por isso, vamos lhe mostrar como potencializar e aumentar sua classificação.

Acrescentar especialistas para todo conteúdo editorial

Acima de tudo, o conteúdo YMYL deve ser elaborado por um especialista, que tenha reputação e autoridade no assunto em questão. Isso é relativamente fácil quando se trata de páginas como contato comercial, informações de suporte, entre outros tópicos.

Porém as coisas são bem mais complexas quando se trata de um blog, pois, na prática, o conteúdo precisa ser relevante e preciso. Portanto, é crucial que as informações sobre o autor estejam disponíveis. Caso essas informações não estejam acessíveis, isso vai comprometer sua pontuação no EAT.

Invista no seu marketing pessoal

As normas do Google alertam que há exceções, ou seja, a reputação pode não estar acessível para os usuários, mas isso não significa que ela será ruim em todos os casos.

Na prática, portanto, significa que investir no seu marketing pessoal é crucial para aumentar sua classificação no Google EAT e superar seus concorrentes.

Porém, como realizar esse processo? Comece com os seguintes passos:

  • Analise sua mídia social e busque criar relacionamentos sólidos com seu público-alvo;
  • Desenvolva uma linha de raciocínio através de um posicionamento transparente em plataformas sociais, como um blog, por exemplo;
  • Desenvolva sua narrativa para criar vínculos com seu público-alvo.

Todos esses esforços vão te auxiliar a desenvolver um marketing positivo para sua organização. Portanto, concentre-se em ser um criador de conteúdo confiável para seu público.

Identifique o baixo conteúdo EAT

Um baixo conteúdo de EAT pode comprometer sua classificação no Google e, dessa forma, diminuir as suas chances de otimizar seu site. Portanto, trate de analisar seu site e remover e/ou editar o conteúdo que apresenta baixo EAT.

Já as páginas que apresentam um bom desempenho de EAT e tráfego merecem um tratamento especial. Portanto, para não prejudicar sua classificação nos mecanismos de pesquisa, refaça a página em questão.

Por outro lado, se a sua página for YMYL, você precisará trazer fontes que representam autoridade no assunto. Contudo, isso não se aplica a todos os casos. Você pode, por exemplo, ter um site de fonte primária, ou seja, que fala sobre si mesmo.

Além disso, essa tática pode ser abordada para os artigos que não incluem o YMYL. Em outras palavras: fale por experiência própria!

Segurança em primeiro lugar

A questão da confiabilidade não se resume a reputação ou a precisão do conteúdo. Faça um teste: abra seus sites favoritos e veja se o Chrome marca as páginas como HTTP, ou seja, não seguras.

Isso ocorre porque sites que não dispõem de um certificado SSL, não são redirecionamento para uma URL HTTPS e isso, em contrapartida, afeta de forma severa sua pontuação no EAT.

Conteúdo produzido por clientes

O conteúdo produzido por um cliente nem sempre significa uma classificação de EAT baixa. Especialmente quando os usuários produzem bons conteúdos a respeito da sua marca.

Logo, vale ressaltar que suas páginas estão inseridas no conteúdo YMYL e elas devem ser elaboradas por fontes respeitáveis ou linkadas para essas fontes. Porque um usuário pode confrontar e detectar informações incorretas, o que resulta, assim, em uma baixa classificação no Google EAT.

Dessa forma, informações relevantes e precisas podem potencializar sua classificação. Um grande exemplo disso são os fóruns colaborativos, que trocam informações relevante sobre um nicho específico, mas, no geral, são moderados pelos autores do site.

Portanto, um artigo de um blog, por exemplo, pode provocar essa discussão saudável, a fim de impulsionar o EAT em tópicos que só um nicho pode abordar adequadamente.

Conclusão

Você pode impulsionar a sua classificação no Google de muitas formas. Em contrapartida, diante das últimas atualizações, você deve sempre ter em mente três fatores: conhecimento, autoridade e confiabilidade. Afinal, esses três indicativos atuam de forma fundamental na classificação do Google.

Você pode começar incorporando no seu negócio as soluções descritas neste artigo para garantir uma boa posição na classificação dos mecanismos de pesquisa.

Porém, se você deseja ir além, saiba que nós podemos te auxiliar nesse caminho. A Tecnovix oferece serviços de SEO e aperfeiçoamento de sites além de um blog repleto de conhecimento. Conheça nossas soluções!

CONTINUE LENDO
Postagens Relacionadas